O paradoxo do terceiro Filho

fotografia dos meus filhos, um com dois anos e o outro com 1 mês
Os meus dois bebés 💞 (que saudades deles assim!)

Não posso dizer que sempre sonhei casar e ter Filhos, porque estaria a mentir. Para ser sincera, não pensava muito no assunto.


Lembro-me que, no dia que nasceu um dos nossos sobrinhos, nós ficámos com o mais velho. A dada altura, ele, na altura com os seus 4 anos, perguntou-nos, muito intrigado, como é que nós conseguíamos viver sem Filhos. Na verdade, vivíamos bastante bem. Sem grandes horários. Talvez a trabalhar demasiadas horas. Com tempo de sobra para ir ao ginásio e passear calmamente à beira mar. A planear as férias na semana anterior à partida. Sem grandes preocupações.

Mas a vida evolui. E nós, enquanto casal, também. De namorados, passámos a noivos, depois a companheiros e depois a casados. Então, decidimos ter Filhos. E decidimos que queríamos 2, com uma diferença de idades pequena. Mas nunca decidimos se seriam só dois, ou mais...

Eu, até gostava de ter 3. Ele nem tanto.
Mas a verdade é que, por muito tempo que, neste momento possa ter (não tanto tempo como imaginaria que teria, mas isso é assunto para outra conversa), para ter o terceiro Filho, precisava de voltar a ter um emprego com um salário fixo, mensal, o que me retiraria o tempo que agora tenho para ter o terceiro Filho...







 Os (des)incentivos à natalidade
 O que me faria ter mais Filhos
 O tempo (de qualidade?!) em Família
 #TrabalhoeFamília, grupo no LinkedIn que pretende debater a conciliação entre estas duas esferas da nossa vida




link para a página de facebooklink para a página de Instagramlink para a página de LinkedIn








Comentários

Posts mais lidos