Mascarado de Turista

Eu sempre gostei muito de viajar! E o Ricardo também!
Por isso, todos os anos costumávamos fazer, pelo menos, uma viagem para fora de Portugal, além de também termos o hábito de ir passar um ou outro fim de semana fora, cá dentro.

Aos 3 meses iniciámos o Miguel nos fins de semana de passeio, com a célebre ida à Régua (quase precisávamos levar um atrelado para levar as coisas do Miguel, apesar da mala espaçosa do Prius...). Depois disso já fomos à Ericeira visitar os tios e os primos e fomos de férias para o Algarve. E até já fomos a Vigo, por causa de uma reunião minha, que se transformou num passeio.
À medida que o tempo foi passando, a mala foi diminuindo de tamanho, apesar de o número de dias fora ter aumentado.

Depois destas experiências todas achámos que estava na hora de experimentar o avião! Então fomos passar o Carnaval a Londres. Ou seja, este ano o Miguel mascarou-se de Turista ;)


Já sei andar de avião :)

Juntámos o útil ao agradável, fomos visitar o Avô, que está por terras de Sua Majestade e levámos o Padrinho connosco, na sua primeira grande viagem.

Que giro aquilo ali em baixo :-)

Foi uma diversão só! O Miguel portou-se lindamente!
No avião correu tudo super bem e ele dormiu o caminho quase todo. Depois, durante os dias que estivemos em Londres, pudemos passear e ver montes de coisas, com ele acordado, atento a tudo, ou, quando o sono o vencia, a dormir no carrinho, sem problema.

Nem o barulho e movimento típicos de Camden Town conseguem perturbar-lhe o sono ;)

No dia da chegada e no dia seguinte até achámos que ele ia dormir o tempo todo e que não ia ver nada (fomos a Camden Town e ele nem abriu os olhos). Mas a partir daí ele começou a querer ver tudo (o tempo também melhorou e ele pôde andar mais tempo fora do carrinho) e a só dormir quando íamos de um sítio para o outro de metro ou de autocarro.
A visita à loja da M&M's foi deliciosa! Os olhinhos dele muito abertos a olhar para tudo e a atenção dele a espreitar o que mais havia para ver são inesquecíveis.

O Teddy Mike a ser feito

Ainda no capítulo das lojas, também fomos ao Hamleys (uma ida a Londres não está completa enquanto não virmos o Big Ben e formos ao Hamleys...) e fizemos-lhe um ursinho de peluche, com a gravação das nossas vozes. Ele adora o peluche (e, normalmente, ele não liga muito a peluches...), ri-se para ele, abraça-o e pede-nos para carregar na patinha para ele ouvir a gravação outra vez!

Porquê olhar para a máquina se a animação é do outro lado?

Explorar os Museus de Londres é obrigatório. Nós selecionámos alguns (o Museu de História Natural, o Museu da Ciência, o Museu Britânico), mas sabemos que muitos mais há para ver e que, mesmo nos museus a que fomos, não conseguimos ver tudo. De tudo o que havia nos Museus para ver e aprender, o Miguel descobriu o eco... E descobriu ainda que, quanto mais alto "falar", maior é o eco! Foi uma diversão: tudo em relativo silêncio, próprio de um Museu, e o Miguel a testar a voz e a ouvir o seu eco. Ainda bem que não o levámos à Biblioteca ;)

Tivessem sido mais rápidos a tirar a foto! Agora quero olhar lá para fora!

O London Eye também mereceu a aprovação dele. Já cheio de sono, depois de um dia inteiro em que tinha dormido só uma hora, porque queria ver tudo o que se passava à volta dele, fomos andar no London Eye, ao final do dia. Ele ficou encantado com as luzes! O desafio era conseguir que ele olhasse para a máquina fotográfica para nós registarmos o momento...

As refeições não foram tão simples. Em Londres, nos restaurantes, não aquecem a comida que nós levamos de casa (apesar de haver muda-fraldas em todo o lado, não conhecem o conceito de micro-ondas) e ele ainda não come a sopa do restaurante, por isso aquecer a sopinha dele era sempre uma aventura... Mas lá descobrimos que se pedirmos para pôr o frasco em água quente dá para desenrascar. Nós optámos por sopas prontas, nos frasquinhos. Ele não gosta lá muito, mas foi comendo. A sobremesa era um boião de fruta, mas isso ele gosta bastante.
Para os lanches levámos Cerelac, já pronta. Erro grande! Aquilo é tão líquido que parece leite... O Miguel gostava do sabor, só que era muito difícil dar-lhe a suposta papa sem o sujarmos todo (mesmo com a babete). Foi para tentar que fosse mais simples do que fazer a papa, mas não sei se fomos bem sucedidos...
Ao jantar, como estávamos em casa, já comia sopa caseira e fruta, por isso corria sempre muito bem, porque, felizmente, ele gosta de comer!

Nas coisas que não correram tão bem, é impossível não falar no metro. Em Londres são poucas as estações de metro que têm acesso para carrinhos de bebé. E mesmo escadas rolantes, nem todas têm. Por isso a solução era, muitas vezes, carregar o carrinho em peso escada a cima e escada a baixo. Felizmente éramos muitos e, algumas vezes depois, já dominávamos a arte de o carregar como se de um pequeno Ramses se tratasse (3 pessoas: uma atrás e uma em cada roda, à frente). Também é possível só com duas pessoas, mas acho bastante complicado para quem tiver que se aventurar no metro sozinha com o carrinho...

Quando ele crescer vai ser difícil explicar-lhe o que eram as cabines telefónicas. Talvez esta foto ajude ;)

Em jeito de conclusão, temos Turista! Já podemos escolher o nosso próximo destino :)

Comentários

Posts mais lidos