#NuncaDigasNunca



Há dias vi uma publicação no Instagram do Blog Café, Canela & Chocolate (um dos blogs que gosto de seguir) com a hashtag #nuncadigasnunca. Na foto, a autora do blog mostrava os dois Filhos entretidos no tablet, enquanto ela conseguia fazer umas compras que precisava. Eu identifiquei-me imediatamente, porque, também eu, costumava dizer que nunca ia usar essas coisas para sossegar os meus Filhos...


Mas, se há uma coisa que a maternidade me ensinou foi, precisamente, que nunca devemos dizer nunca! Mal eu sabia que, dias depois, ia estar a pensar tanto nisso...

Sempre me fez confusão perceber o estado de alheamento das crianças, quando têm um tablet ou telemóvel à frente, por exemplo, quando vão a um restaurante com os Pais. Com tantos jogos, lápis e canetas, cadernos de pintar, cadernos de desenho, porquê hipnotizá-los com um écran? Qual é a graça de ir comer fora e excluir, desta forma, as crianças desses momentos em Família? "Preguiça dos Pais", pensava eu, de mim para mim, apesar de não o dizer em voz alta... (lá está aquela tendência julgadora, que todos temos, mesmo quando nos esforçamos para a evitar!)

Sempre tive (e tenho) um kit restaurante, que costumamos levar para todo o lado, cuja composição depende dos interesses deles, do tempo que estimamos demorar no restaurante e da comida que vamos comer (se for pizza, não precisamos de kit nenhum 😉).

E sempre funcionou bem! Sempre conseguimos refeições sossegadas (leia-se, onde as crianças não ficam cheias e fartas de estar no restaurante, não andam a correr, nem estão aos gritos, ou a chorar, e todos podemos desfrutar da companhia uns dos outros).

Sempre conseguimos. Até agora!
Na semana passada fomos passar uns dias fora (tenho uns passeios muito giros para partilhar convosco!). Lá fui eu, munida de uma malinha com o meu kit. E eles, munidos com as suas mochilas com brinquedos. Mas o Rodrigo decidiu mostrar-me, mais uma vez, que, REALMENTE, nunca devemos dizer nunca e presenteou-nos com um estado de espírito de "não vou comer nada e vou reclamar o tempo todo". E nós cedemos! Cedemos à tentação de ligar o telemóvel, com um episódio do Chuggington que fizesse com que, pelo menos, ele comesse a sopa e nós pudéssemos comer a nossa comida, sem ter que sair dali à pressa. Cedemos à tentação de o sossegar um bocadinho, para que as outras pessoas, que estavam no restaurante, pudessem apreciar a sua refeição sem ter uma criança rabugenta (porque estava cansado, porque até lhe doía o pé, que tinha torcido no dia anterior e que, como não queria andar no carrinho, não conseguiu descansar), a fazer barulho o tempo todo.

Sim, usei o truque do telemóvel. Sim, também eu estava cansada. Sim, ele assim comeu a sopa num instante e sem reclamar e todos pudemos apreciar a nossa refeição. E sim, eles queixaram-se um bocadinho quando chegou a hora de desligar. Mas saímos todos do restaurante em harmonia, para continuar a nossa pequena escapadinha.

Eu continuo a não gostar de usar estes aparelhos à mesa, principalmente num restaurante. Mas percebi uma coisa: mais importante do que ser intransigente com este tipo de coisas, é que todos nos possamos sentir bem, em momentos que são de descontração. Se eu prefiro que seja sem tecnologia? Sim, prefiro! Mas devo fazer disso um cavalo de batalha? Acho que não!

E sem esquecer de não julgar: quem pensa de forma diferente, educa de forma diferente, ensina coisas diferentes... Cada um saberá o que é melhor para a sua Família, em cada momento! E faz o melhor que consegue, todos os dias!



Acompanhem-nos também no Facebook, no Instagram, no Pinterest e subscrevam a newsletter do Blog.

Obrigada! 😍

Comentários

Posts mais lidos