Por 6 meses de Licença | Marisa Freitas



A Marisa foi Mãe pouco depois de eu ter tido o Rodrigo. Sei que têm um percurso na amamentação semelhante ao nosso e, assim que lhe pedi para partilhar a história deles e para manifestar a opinião dela em relação à relevância de a Licença Parental Inicial ser de 6 meses, ela não hesitou em juntar-se a nós!

Se também concordam connosco, acedam já à Iniciativa Legislativa do Cidadão, que está a reunir assinaturas para poder ir a votação no Parlamento, assinem e partilhem!

Juntos, vamos fazer-nos ouvir!


Aqui fica o testemunho da Marisa:

"A amamentação promoveu vínculo e bem estar para Mãe e bebé. Representa tranquilidade, saúde e amor. Ainda hoje, com quase 41 meses de amamentação, nunca precisámos de dar 1 único antibiótico. O meu filho aumenta a demanda quando está a ficar com qualquer tipo de sintoma.

Optei por desmame gradual e natural, ainda em processo.
A amamentação em exclusivo extendeu-se até ao 6º mês quando o bebé manifestou de forma natural curiosidade e capacidade de começar a provar outros alimentos.
A amamentação facilitou uma introdução da alimentação complementar sem pressões, factor que muito atribuímos à relação muito saudável que o nosso filho mantém com a comida e os seus hábitos alimentares.

Tive a sorte de conseguir ir a casa à hora de almoço e manter a amamentação em exclusivo até aos 6 meses, mas porque mudei de trabalho no início da gravidez e também tinha uma reserva de leite materno congelado. E também tive possibilidades económicas de ter 5 meses de licença.
Caso contrário, teria sido obrigada a precipitar a introdução de outros alimentos, não teria feito o processo como planeamos.

Estou segura que teria um bebé mais ansioso, menos saudável e dificilmente teria um processo de desenvolvimento tão harmonioso, além de uma excelente relação com a comida."




Acompanhem-nos também no Facebook, no Instagram, no Pinterest e subscrevam a newsletter do Blog.

Comentários

Posts mais lidos