Gravidez: a Meio do Caminho

O segundo trimestre é fantástico: passam os enjoos e os perigos do início da gravidez, podemos partilhar a novidade com todos, a barriga começa a notar-se, sentimos o bebé pela primeira vez, ficamos a saber se vamos ter um menino ou uma menina e ainda não estamos demasiado pesadas para desfrutar de tudo isto!

A curiosidade sobre o bebé, para mim, foi a tónica deste trimestre! Queria saber, semana a semana, como ele estava, que tamanho tinha, o que já estava formado...

Logo no início da gravidez comprámos uma agenda que dizia semana a semana como é que o bebé se desenvolve e o que acontece com a Mamã. Recomendo a todos os futuros Papás e Mamãs! Nós costumávamos ler ao domingo, à noite, o que a semana seguinte nos ia trazer. Além disso, vimos um documentário fantástico, chamado "A Vida no Ventre" (obrigada Inês!). Foram excelentes formas de saber mais sobre o que se passava com o nosso tesouro :-)

Os momentos mais marcantes foram quando, às 18 semanas o senti pela primeira vez a mexer; quando, às 19 semanas, o Ricardo também o sentiu; e quando, às 21 semanas soubemos que íamos ter um menino :-)

Finalmente podíamos escolher o nome e comprar umas roupinhas giras! Logo no dia que soubemos fomos comprar um babygrow com uma gravata e outro do super-homem :-)
E ainda bem que esperámos pela confirmação da ecografia do segundo trimestre, porque senão íamos ter muita coisa cor-de-rosa para trocar... É que, tanto na ecografia do primeiro trimestre, como na consulta às 16 semanas, as médicas (2 diferentes) disseram que se tivessem que apostar diriam que era uma menina...

Nós tínhamos decidido que só íamos pensar no nome quando soubéssemos o sexo do bebé. Por isso, só a partir da semana 21 é que começámos a pensar nisso. A ideia que eu tenho é que demorámos imenso tempo a decidir. Mas fui ver à agenda da gravidez e, afinal, foram só duas semanas...

A escolha do nome foi um processo altamente elaborado!
O primeiro nome de que falámos foi Miguel. Mas, como queríamos ter a certeza que era o nosso favorito, decidimos ver outras opções. Fizemos uma lista com 20 nomes. Depois procurámos o significado desses nomes. Com esta lista, inicialmente, cada um escolheu 5 nomes para o top 10 e depois eliminávamos nomes à vez. Mas chegámos à conclusão que assim ficávamos com nomes que um de nós não gostava. Por isso, alterámos o método: cada um atribuía pontos aos nomes, de 1 a 20, e somávamos os pontos dos dois. Os nomes com menos de 20 pontos eram eliminados. Dos que sobravam, se a algum deles um de nós tivesse dado menos de 10 pontos, também saía da lista. Assim chegámos a um top 5 e depois a um top 3 de nomes de que ambos gostávamos. Tudo isto para chegar ao fim e escolher o primeiro nome de que falámos :-)

No fim deste trimestre, tive que ir de baixa, para casa. Estava com algumas contrações e o útero estava mais curto do que era suposto. Ou seja, o Miguel estava com pressa de vir conhecer o Mundo! E, por muito que, durante toda a gravidez, se anseie pelo momento de conhecer o nosso rebento, só queremos que isso aconteça a partir das 37 semanas (quando o bebé deixa de ser prematuro)!
Por isso lá vim para casa mais cedo e segui todas as indicações médicas, que consistiam, essencialmente, em muito descanso e zero esforço físico!

Durante toda a gravidez, mas em particular neste trimestre, sentia duas coisas contraditórias: queria que o tempo passasse depressa, para ter o Miguel nos braços, ao mesmo tempo que queria que passasse devagar, para conseguir gozar a gravidez...

Olhando para trás, acho que passou num instante! A única altura em que o tempo passa mais rápido é depois de eles estarem cá fora...

Comentários

Posts mais lidos